Dor de cabeça

Robinson Botelho de Faria

Cefaléia é o termo médico dado à dor de cabeça. Quem nunca teve? É um dos sintomas mais comuns da prática clínica, e pode estar relacionado tanto a doenças graves quanto a problemas de menor importância. A cabeça é uma parte do corpo cujo exame físico nos dá poucas informações. Por isso é importante sabermos quais as características da dor, sua intensidade, duração, localização, periodicidade, se é súbita ou não, se está relacionada a situações, uso de remédios, troca de ambiente, menstruação, determinados tipos de alimentos. A intensidade da dor é de difícil mensuração, pois uma dor que para um paciente é incapacitante para outro pode não ser.

Um dos tipos mais comuns de cefaléia é a enxaqueca, presente em ate 30% da população, sendo mais comum em mulheres, na proporção de 3 para1. Seu mecanismo não é totalmente conhecido. Existe componente hereditário e está associada a alterações de fluxo sangüíneo cerebral, provavelmente secundárias a alterações dos calibres dos vasos. É periódica, pulsátil, unilateral, apresenta náuseas e vômitos, sensibilidade acentuada à luz, visão modificada com manchas ou brilhos, tonteira e zumbidos. Começa geralmente na adolescência ou inicio da vida adulta. Normalmente instala-se pela manhã ou durante o dia, atinge maior intensidade em meia hora, e pode durar várias horas, até dois dias, podendo cessar com o sono. Permanece durante anos e tende a diminuir com o avançar da idade. Alguns casos podem ser complicados com sintomas neurológicos, apresentando formigamentos e paralisias que, normalmente, regridem após um tempo.

Cefaléia de tensão é a provocada por forte estresse, preocupação, fadiga física, fome. É geralmente bilateral, dura de um a dois dias, mas pode persistir por meses. E contínua e mais comum na meia idade. Pacientes com esse tipo de cefaléia estão mais sujeitos a problemas de ansiedade e depressão.

Tumor cerebral pode apresentar cefaléia sem características específicas. Vômito em jato pode estar presente em estágio avançado. Devemos investigar, principalmente, em quem já fez algum tratamento para câncer.

O aneurisma, que é uma herniação na parede de uma artéria, pode apresentar dor súbita forte, defeitos visuais, dormências em questão de minutos. Pode romper-se e haver hemorragia intracerebral; quadro grave de pronto socorro e que normalmente requer cirurgia.

Todo paciente que chega ao consultório, queixando-se de dor de cabeça crônica, precisa ter sua pressão arterial aferida, porque a pressão alta é muito comum nesses casos, além de ser solicitado um exame de vista. Muitas vezes o paciente precisa usar óculos, ou trocar suas lentes, e não percebe isso.

O glaucoma, que é uma doença em que ocorre aumento da pressão intra-ocular e pode levar à cegueira, também pode ser causa de dor de cabeça. Outras causas são sinusite, inflamações de ouvido e dentárias, de artérias, da meninge (meningite; dor intensa, aguda, constante, associada à rigidez de nuca). Problemas em articulações da coluna no pescoço. Anemia aguda, hipotireoidismo, febre, uso de anticoncepcionais. Cefaléia pré-menstrual normalmente desaparece após o primeiro dia de sangramento e melhora com uso de diuréticos.

Toda cefaléia crônica tem que ser investigada. Para saber como investigá-la e o melhor tratamento, só falando com seu médico.

(O autor é cirurgião torácico)

Página principal | Arquivo